Notícias

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO APRESENTA ESTRATÉGIA PARA O TRIÉNIO 2021/2023

O recém-empossado Conselho de Administração apresentou no dia 3 de março, num Pequeno-almoço com Órgãos de Comunicação Social organizado na sua sede, as linhas mestras pelas quais pretende conduzir a Empresa nos próximos 3 anos.

Catarina Martins, Presidente do Conselho de Administração, e Simão Neves, Vogal Executivo, vão priorizar as pessoas, o valorizar mais o pescado, a centralidade e a transversalidade da Lotaçor, a cooperação e o contributo para o desenvolvimento de toda a fileira do pescado.

As pessoas, os seus recursos humanos, o seu activo mais valioso, com a tradição, conhecimento e proximidade a todos os envolvidos na fileira do pescado. O valorizar mais o pescado, promovendo a utilização de espécies menos utilizadas e o aproveitamento de elementos do pescado até agora desperdiçados. A centralidade e a transversalidade, dado que a Lotaçor se encontra no centro da fileira do pescado, entre a produção, a comercialização, os portos, os equipamentos e infraestruturas de apoio pelo frio, a indústria, a Academia e o próprio Governo Regional, que a tutela. A cooperação e o contributo para o desenvolvimento de toda a fileira do pescado nos Açores, através da transmissão de conhecimentos e troca de informações e experiências com todos os envolvidos.

No que respeita a preocupações imediatas, o Conselho de Administração está procedendo a um levantamento das necessidades e reanálise das áreas chave da Lotaçor, sendo que a preparação da safra do atum de 2021 constitui o principal desafio neste momento. O Plano de Investimentos para o próximo triénio é outra área onde está a desenvolver um trabalho importante.

O Conselho de Administração pretende também passar a imagem da Lotaçor, não apenas da entidade que estatutariamente procede à primeira venda de todo o pescado fresco na Região, mas como aquela que também tem a seu cargo a gestão de todos os núcleos e portos de pesca e infraestruturas de apoio à atividade da pesca, equipamentos e infraestruturas para tratamento do pescado pelo frio e gelo, utilizados pela produção, comercialização e transformação, e se constitui como elo de ligação entre todos os membros da fileira do pescado e como potencial contribuinte para o desenvolvimento das pescas nos Açores.

Na prática pretende que a Lotaçor se mantenha todos os dias a contribuir para valorizar mais o Pescado dos Açores.

4 de march por Lotaçor